01

O Vinho Verde é um produto único no mundo, uma mistura de aroma e agulha que torna numa das mais deliciosas bebidas naturais!

Medianamente alcoólico e de ótimas propriedades digestivas, pela sua frescura e especiais qualidades, é um vinho muito apreciado, e muito fácil de tomar, sobretudo na época quente. A fermentação maloláctica transmite-lhe sabor e personalidade inconfundíveis.

Os tintos são encorpados, de cor intensa e espuma rosada ou vermelha viva, apresentando-se os brancos de cor citrina ou palha.

A flagrante tipicidade e originalidade destes vinhos é o resultado, por um lado, das características do solo, clima e fatores sócio econômicos e, por outro, das peculiaridades das castas regionais e das formas de cultivo da vinha.

As vinhas, que se caracterizam pela sua grande expansão vegetativa, em formas diversas de condução, ocupam uma área de quase 35 mil hectares e correspondem a 15% da área vinícola nacional.

02

 

Para acompanhar esse vinho verde ou outro vinho verde de sua preferência, vou indicar uma sopa paraguaia quem já ouviu a história da sopa paraguaia?

Toda vez que um sul-mato-grossense convida alguém para comer uma das comidas típicas aqui da fronteira fica só esperando o “fora” e a cara de surpresa que fazem quando se coloca à sua frente a sopa paraguaia, uma sopa que não é sopa, e sim uma espécie de torta… Ou suflê! E até sua história é engraçada. Era para ser um caldo, à base de cebola, queijo, ovos e gordura animal.

Mas, dizem alguns historiadores da culinária local que a cozinheira errou a mão, jogou farinha de milho demais na panela e, na hora de servir o jantar, em vez da sopeira levou uma travessa de torta à mesa. Seria apenas mais uma mudança de cardápio doméstico se o dono da casa não fosse o ditador Carlos Antônio López, manda chuva do Paraguai entre 1844 e 1862.

 O nome da cozinheira se perdeu —quem iria mesmo se lembrar do nome de uma cozinheira paraguaia?  Mas López gostou tanto da iguaria que passou a mandar servi-la com frequência. Nascia por acaso um prato nacional:  a sopa paraguaia —sopa que não é sopa, que exige garfo e faca e que foi transformada em prato típico de um povo pelo absolutismo de um caudilho.

 Sopa paraguaia é um bolo de milho salgado muito consumido no Paraguai e Mato Grosso do Sul. É considerado o prato tradicional do Paraguai.

 Além do milho ralado, ingredientes como o leite, óleo, queijo em abundância e cebola tornam este um prato delicioso, assado em forno comum ou de barro. Pode-se acrescentar outros ingredientes como: tomate seco, orégano. Se não tiver milho verde, pode-se utilizar fubá tipo biju, milharina ou  polentina.  Então vamos para a receitinha:

03

Sopa Paraguaia

 Ingredientes

80 gr de cebola em rodelas

30 gr de manteiga

250 ml de leite fervente

100 gr de fubá

60 gr de queijo-de-minas

2 unidades de gema de ovo

2 unidades de clara de ovo em neve

10 gr de fermento químico em pó

Modo de fazer:

Salteie a cebola na manteiga até amolecer.

Junte o leite quente e misture bem.

Hidrate o fubá com um pouco de leite frio ou água e adicione ao leite mexendo bem até obter um angu mole.

Retire do fogo, adicione o queijo, as gemas mexendo bem e tempere.

Adicione delicadamente às claras em neve.

Aqueça ao forno a 200ºC.

Coloque a massa em uma assadeira untada e leve ao forno até dourar (cerca de 40 minutos).

Deixe esfriar uns 5 minutos antes de desinformar.

O resultado é essa torta simples, mas muito saborosa

 Espero que tenham gostado da sugestão do vinho verde que já foi moda a algum tempo atrás sendo um dos vinhos mais vendidos no Brasil como o Calamares, Casal Garcia, que caiu um pouco no esquecimento, mas temos que ter paladar para outros tipos e experimentar o vinho verde também, porque não??

Se bem harmonizado e não precisa ser necessariamente com bacalhau ou outro prato qualquer de Portugal, pode sim ser harmonizado com um prato típico do Paraguai por exemplo e com uma boa companhia para degustá-lo fica muito agradável !!

Boa semana a todos, beijinhos!!