01

Vinho nem branco nem tinto: laranja

Não se espante com o laranja. A cartela de cores dos vinhos agora tem mais esse tom, que é o novo queridinho dos sommeliers mundo afora por ampliar as possibilidades de harmonização com comida.

 A técnica de produção do vinho laranja nasceu há milhares de anos em algum ponto da atual república da Geórgia. Por definição, vinho laranja é um branco produzido de forma semelhante a um tinto – ou seja, o suco da uva fica em contato com as cascas por bastante tempo. É esse contato, maior ou menor, que dá cor aos vinhos – a cor é extraída da casca. No caso do laranja, ela tem gradações que vão do dourado ao cobre.

 Além da cor, que vem da casca, grande parte desses vinhos tem influência de ânforas de barro, onde alguns deles são guardados. Essa era a forma tradicional de conservar vinhos na antiguidade. Na Geórgia, os vasos ou ânforas, chamados qvevri, são fechados e lacrados com cera de abelha e enterrados.

 Em meados dos anos 2000, os países do Cáucaso – onde está a Geórgia voltaram a produzir vinhos laranja. Mas os exemplares mais conhecidos vêm da Itália (em especial do Friuli) e da Eslovênia.

 A maior parte do vinho laranja é produzida segundo regras dos vinhos naturais. Ou seja: dispensam produtos químicos nos vinhedos e leveduras industriais na fermentação. Além disso, muitos não são filtrados e chegam a ser um pouco turvos, o que pode dar a falsa impressão de que são defeituosos.

 No copo, eles têm aromas muito diferentes dos brancos normais. Frequentemente, lembram frutos secos (laranja seca, nozes, amêndoas, damasco e ameixa seca etc.) e têm notas oxidativas ou terrosas, de especiarias, como açafrão, mel e cera. Finalmente, pelo longo período de contato das cascas com o suco, são vinhos que têm taninos em diferentes intensidades e remetem a tintos mais delicados.

 Só o tempo dirá se vinhos laranja são uma moda passageira. Pela forma de produção e escala, acabam sendo caros, um dos mais baratos, o chileno Muscat Viejas Tinajas 2012 De Martino, custa R$ 101,00. Ou seja, eles não vão roubar mercado de Malbec argentinos ou Cabernet Sauvignon chilenos.

 Os vinhos laranja oferecem uma gama de harmonizações bem mais ampla que a dos brancos normais (e de muitos tintos).

 Além de peixes e frutos do mar, encaram bem, por exemplo, comidas muito temperadas, como a indiana, a tailandesa ou certos pratos da culinária brasileira. E até mesmo carne, não só de porco ou frango, mas também de cordeiro, em pratos que normalmente pediriam um tinto. Vinhos laranja são um gosto adquirido.

02

MUSCAT VIEJAS TINAJAS 2012 DE MARTINO

Origem: Valle del Itata, Chile

Preço: R$ 101,00  (na Decanter)

O enólogo Marcelo Retamal recuperou a tradicional forma de vinificar em ânforas de barro para criar uma nova dimensão em um vinho moscatel. A personalidade floral da casta é mantida (flor de laranjeira e lavanda), complementada por notas terrosas e de leveduras. Os taninos são delicados e discretos, acompanhados de leve untuosidade e bom frescor. Um bom passo de entrada nos vinhos laranja.

03

Pad Thai (macarrão tailandês)

 Ingredientes

Serve: 4

285 g de macarrão de arroz

1/2 xícara de molho de peixe

1/3 xícara de molho de soja

5 colheres (sopa) de pasta de tamarindo

4 colheres (sopa) de açúcar mascavo

2 colheres (sopa) de óleo

350 g de peito de frango fatiado

180 g de tofu firme fatiado

3 dentes de alho picados

1 colher (sopa) de pasta de camarão

3 ovos

2 colheres (sopa) de cebolinha picada

1 pimentão vermelho

100 g de amendoim torrado sem casca

150 g de broto de feijão

1 limão em pedaços

Modo de preparo

Deixe o macarrão de molho em água por 10 minutos.

Misture o molho de peixe, molho de soja, pasta de tamarindo e açúcar numa tigela. Reserve.

Aqueça o óleo numa wok ou frigideira grande em fogo médio. Junte o frango e o tofu e cozinhe por cerca de 5 minutos.

Adicione o alho e a pasta de camarão e misture bem. Cozinhe por 2 minutos e adicione o molho e o macarrão. Misture bem e cozinhe até o macarrão ficar macio, cerca de 3-5 minutos.

Empurre o macarrão para um dos lados da frigideira e quebre os ovos do outro lado. Mexa bem até firmarem, e então misture os ovos mexidos com o macarrão.

Sirva imediatamente decorado com o amendoim, broto de feijão e pedaços de limão.

04

RENOSU BIANCO ROMANGIA IGT DETTORI

Origem: Sardenha, Itália

Preço: R$ 102,80 (na Decanter)

A biodinâmica Tenute Dettori aposta somente nas variedades locais. Neste caso, o corte de Vermentino e Moscato de Sennori não é safrado por ser uma mescla de vinhos de 2008, 2009 e 2010. O nariz é sedutor, com notas de casca de laranja, ervas e algo salgado (maresia). Na boca, é delicado, com taninos discretos. É um detalhe, mas seria bom se a doçura descesse um degrau.

Muito bem lembrado , vinhos laranjas ! Enquanto e Itália investe muito nestes produtos, a França está tímida na sua produção , podemos encontrar no sul da França ( Domaine Gauby) uma pequena produção de vinho laranjas. Na França tomamos muito o vinho rosé , acho que podemos compara-lo ao vinho laranja.

Bom por hoje é só até a próxima matéria, beijinhos a todos!!